POLÍCIA FEDERAL
ORGULHO NACIONAL


PF deflagra operação contra lavagem de dinheiro na fronteira

A organização é vinculada ao traficante conhecido como “Galã”

13/03/2020

PF deflagra operação contra lavagem de dinheiro na fronteira

A Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Spollium, na manhã desta sexta-feira (13), em Ponta Porã, com o objetivo de desfazer uma organização criminosa voltada à lavagem de dinheiro oriundo do tráfico internacional de drogas.

Ao todo, estão sendo cumpridos três mandados de busca a apreensão e executados os sequestros de 39 imóveis, cujo valor está estimado em R$ 4 milhões. Na quadrilha havia pessoas físicas e jurídicas atuavam como “laranjas” para a movimentação de valores e a ocultação do patrimônio ilícito adquirido com o tráfico de drogas.

Segundo a PF, os agentes descobriram o esquema após analisar materiais apreendidos em investigações anteriores, eles tiveram acesso a diversas planilhas de gastos e contabilidade referentes ao tráfico de entorpecentes, controle de veículos e imóveis registrados em nome de terceiros.

Com isso os policiais identificaram 39 imóveis adquiridos com dinheiro vindo do tráfico de drogas nas cidades de Ponta Porã (MS), Santos (SP), Presidente Prudente (SP), dentre outras.

A Justiça Federal também determinou o bloqueio de valores nas contas bancárias dos investigados e o cumprimento dos três mandados de busca e apreensão em endereços vinculados ao grupo criminoso.

A Polícia Federal explica que o grupo criminoso investigado é vinculado ao traficante conhecido como “Galã”, condenado pela prática de diversos crimes, tais como tráfico de drogas, organização criminosa, receptação, posse e porte de arma de fogo, homicídios, uso de documento falso, dentre outros.

Os investigados poderão ser indiciados pela prática dos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro, cujas penas somadas podem ultrapassar 18 anos de reclusão.

Nome da operação

O nome da Operação, “Spollium”, significa pilhagem em latim, sendo uma referência aos bens obtidos com atividades ilícitas pela organização criminosa.

Tags

JD1 Noticias

O SINPEF/MS defende os direitos dos policiais federais